29

Julho
/ 2021


Brasileiro busca mais produtos sustentáveis

Os consumidores brasileiros estão procurando mais produtos sustentáveis, visando redução de impactos ou geração de benefícios socioambientais. Uma pesquisa do Mercado Livre na América Latina, obtida com exclusividade pelo Valor, mostrou uma alta de 112% no número de compradores desses itens no país. O aumento superou o crescimento registrado na região como um todo, de 104%.
 
O estudo, baseado em dados da plataforma de comércio eletrônico, foi realizado entre abril de 2020 e março de 2021. No Brasil, os produtos mais vendidos nesse segmento foram: painel solar, garrafa reutilizável e composteira. Os itens cujo percentual de venda mais cresceu, na comparação com a pesquisa anterior, foram cápsulas de café reutilizáveis, hortas e composteiras, e garrafas reutilizáveis. "Mais de 3 milhões de usuários já compraram produtos sustentáveis e metade foi no Brasil. Tem mais de 10 mil empreendedores que vendem dentro dessa categoria, já são 33 mil produtos", disse a gerente de sustentabilidade do Mercado Livre, Laura Motta. A categoria de produtos sustentáveis do Mercado Livre surgiu atrelada à estratégia de sustentabilidade da empresa. Hoje são três os focos de atuação: reduzir o impacto ambiental das atividades da companhia, contribuir para a sociedade e impulsionar o empreendedorismo de impacto positivo. "Estamos conectados à demanda do consumidor e sabemos que ela é crescente. Nosso trabalho é na linha de facilitar o consumo que gera impacto positivo para o consumidor", disse.
 
Além do Brasil, a pesquisa incluiu Argentina, México, Colômbia, Uruguai e Chile. Em todos estes países, a bicicleta foi o item mais pesquisado pelos consumidores. Há uma tendência similar de produtos mais pesquisados na região.
 
Outros produtos que apareceram na lista foram garrafa térmica, bicicleta elétrica, filtro de água, aquecedor solar e coletor menstrual, por exemplo. Como o tema ainda é de nicho, um dos trabalhos do Mercado Livre consiste em dar visibilidade para os produtos e facilitar o consumo. Para isso, a empresa criou o evento "Ecofriday", em que destaca os produtos relacionados a essa temática nas páginas da plataforma e em redes sociais. A próxima edição será nos dias 23 a 25 de julho. Ao mesmo tempo, a empresa trabalha para desenvolver a oferta de produtos, que cresceu 100% desde 2017, quando realizou a primeira "Ecofriday". "O grande desafio para podermos levar o tema para o consumidor é, primeiro, dar visibilidade para os produtos, para que as pessoas conheçam e tenham mais insumos para tomada de decisão", afirmou Laura. A estratégia para aumentar os itens disponíveis inclui parcerias com certificação de sustentabilidade do Sistema B, criada pela organização americana B Lab, benefícios para venda no Mercado Livre, além de ter criado um programa com foco em empreendimentos da biodiversidade.
 
Paralelamente, o Mercado Livre ouviu as preocupações de mais de 21 mil consumidores, não necessariamente usuários da plataforma, com relação ao tema. O estudo traçou o perfil padrão do consumidor de produtos de impacto positivo e apontou que 64% dos usuários estão preocupados com a situação do meio ambiente. Esse sentimento é ainda maior entre os que possuem mais de 45 anos. E se explica, segundo Laura, por causa do maior poder de compra e autonomia dessa faixa etária. Entre os que estão muito preocupados, a "alimentação saudável" foi a que mais fez parte das compras sustentáveis no último ano. A escolha de um produto de impacto positivo é influenciada pela composição do item, possibilidade de retornar ou reutilizar a embalagem e funcionalidade. Na América Latina, a preocupação com a contaminação da água, mudança climática e resíduos plásticos somam 53% das respostas.
 
Este cenário é uma tendência global, compartilhada por consumidores finais e por empresas, todos em uma busca, ao escolher criteriosamente suas compras ou insumos, por um futuro melhor para o planeta. O entendimento de que nossos recursos são finitos e que as próximas gerações dependem das ecolhas que fazemos algora tem pautado o comportamento do consumidor e da indústria. Muito além do marketing, esta é uma exigência real e as empresas que, de fato, contribuírem para a sustentabilidade serão as mais valorizadas.
 
A Oryzasil, comprometida com a responsabilidade ambiental, fomenta e participa deste movimento. Produzindo sílica precipita de alta qualidade a partir da casca de arroz, a empresa adota uma química moderna que, não só é sustentável como, igualmente, formenta a economia local no entorno de sua sede, em um conceito de economia circular.
 
A casca do arroz não é utilizada no beneficiamento do grão para a alimentação, tornando-se um resíduo, anterioremente, acumulado em depósitos a céu aberto. A Oryzasil resolve este problema, transformando este resíduo em um novo produto, de qualidade global, a partir da sua queima, a qual, ainda, gera energia. Um processo 100% suetentável e que contribui decisivamente para a redução da pegada de carbono dos clientes produtores de artefatos de borracha e pneus.
 
Quer saber mais sobre o compromisso sustentável da Oryzasil? Clique aqui.
 
Fonte: Valor Econômico e Assessoria Oryzasil
 
 
 

24

Abril
/ 2019

"Projetos como esse são exemplos do que queremos para o nosso estado", diz governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, ao receber o convite para a inauguração da Oryzasil Sílicas Naturais.


31

Julho
/ 2019

ABTB e Oryzasil reúnem formadores de opinião e profissionais da indústria da borracha!

ABTB e Oryzasil reúnem formadores de opinião e profissionais da indústria da borracha!





© Copyright 2019.
Todos os direitos reservados.